O Longo Caminho até o 11 de Setembro

O Longo Caminho até o 11 de Setembro
A verdadeira história do 11 de setembro

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

O arrendamento do World Trade Center



                  Em maio de 2001, o World Trade Center passou por um processo de licitação que previa o arrendamento de todo o complexo. A concorrência foi ganha pela Westfield América, grande proprietária de shopping centers nos Estados Unidos, que pagou 3,2 bilhões de dólares para alugar e explorar as duas torres por 99 anos. No contrato, havia uma cláusula de seguro por U$ 3 bilhões e 500 milhões de dólares, especificamente coberto para o caso de atentados terroristas. A Westfield América é de propriedade do magnata judeu Larry Silverstein, que entre outros negócios, possui também um clube de dança noturno, de nome “Pista de Decolagem 69”, na baixa Nova York, que serve para lavagem de dinheiro e corrupção de policiais da cidade. Existem suspeitas de que Clinton e Colin Powell eram freqüentadores do clube. Silverstein, beneficiou-se do grande negócio que valia em torno de 8 bilhões, graças à influência imensa que possuía sobre políticos e burocratas. O escritório da Westfield ficava no 88º andar da torre sul.
Em abril de 1993, pesava sobre Larry Silverstein uma queixa feita por um veterano do Vietnã de nome Harry P. Miller, que o acusava de cometer atos ilegais, incluindo assassinatos, na época da Guerra do Vietnã, para uma conspiração de distribuição de heroína. Em julho de 1993, a queixa foi arquivada. Em janeiro de 1994, em uma ordem de 28 páginas, todas as reivindicações acerca de indenizações no valor de US$ 49 milhões, foram encerradas pela Corte do Distrito Federal de Nova York. Embora o advogado de Harry P. Miller tenha apelado à suprema corte, no ano de 1997 o caso foi arquivado definitivamente.
Larry Silverstein, após arrematar o complexo do World Trade Center, procurou imediatamente modificar toda a estrutura de segurança interna das construções. Para tanto, precisava de um especialista em segurança internacional. Um convite foi feito a alguns dos melhores agentes dos Estados Unidos, entre eles John Patrick O´Neill. O´Neill, fora o segundo homem mais importante no FBI e havia sido o responsável pelo serviço de contra terrorismo.  Ele havia sido o responsável pela investigação ao primeiro atentado às torres gêmeas, em 1993, quando descobriu as conexões entre células terroristas e Osama bin Laden. Se existia alguém nos EUA que sabia tudo à respeito de bin Laden, este alguém era O´Neill. Durante os exames de admissão, O´Neill foi o escolhido. Para esta tarefa, receberia um bônus anual de US$ 300.000. Curiosamente, quatro meses após o arrendamento e três meses após sua contratação, John Patrick O´Neill faleceu no dia 11 de setembro de 2001, nos atentados ao WTC, levando consigo tudo o que sabia sobre os laços entre o governo americano e bin Laden. Larry Silverstein, após decisão judicial, recebeu o seguro do complexo do WTC e com o dinheiro, comprou a Sears tower, em Chicago, que é o prédio mais alto atualmente nos Estados Unidos.  

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

O Sumiço de US$ 2,3 trilhões de dólares, do Pentágono.



          No dia 10 de setembro de 2001, o Secretário da Defesa, Donald Rumsfeld, afirmou numa comunicação pública que o Pentágono “perdera” US$ 2,3 trilhões de dólares, do orçamento da união.


          Por mais estranho que possa parecer, o local atingido pelo impacto do avião (ou míssil), foi o 1º lado do Pentágono, exatamente o lado que havia sido reparado, durante quase quatro anos, e reforçado em suas paredes e janelas, a fim de resistir a explosões de um atentado terrorista. Aquele era o lado reservado a Marinha americana e lá trabalhavam aproximadamente 5 mil funcionários.

          De todas as vítimas que pereceram no ataque ao Pentágono, 150 das pessoas que tinham conhecimento específico do caso do sumiço, no dia anterior, do dinheiro do orçamento dos EUA, estavam reunidas naquela manhã de 11 de setembro para tentar desvendar o destino dos US$ 2,3 TRILHÕES. Espantosamente, tanto os computadores quantos estas pessoas que poderiam rastrear o dinheiro, ficaram sob os escombros do Pentágono.

sábado, 24 de setembro de 2011

Para onde foi o ouro dos cofres do WTC?



          Um dos maiores depósitos de ouro estavam armazenados no subsolo do WTC. Em 1993, o valor do ouro estava estimado em 500 milhões de dólares. A informação corrente era a de que este ouro era de propriedade do Kuwait. Quando o WTC foi destruído, a quantidade do ouro era muitas vezes superior ao de 1993. Em 01 de novembro de 2001, na matéria publicada por Nicholas Wapshott, veiculada na Times on Line, informou-se que uma grande quantidade de ouro fora descoberta nos escombros do WTC. O prefeito Rudolf Giulliani anunciou que mais de 230 milhões de dólares, em barras de ouro, haviam sido resgatados do Ground Zero. Contudo, a divisão comercial de metais da Comex, estava armazenando 200 milhões em barras de ouro para o Bank of Nova Scotia. O Bank of New York, o Hong Kong and Shanghai Banking e o Chase Manhattan Bank, possuíam um total de 950 milhões de dólares em barras de ouro. Estas somas eram administradas por uma só empresa. No total, mais de 160 bilhões de dólares, em ouro, estavam armazenados no WTC. Para onde foi todo este ouro? Evaporou com o incêndio? Em novembro de 2001, a Reuters relatou que foi descoberto certa quantidade de ouro, na parte de trás, de um caminhão de transporte de soldados, juntamente com vários carros, em um túnel logo abaixo do edifício 5 do complexo do WTC. Não havia corpos para serem resgatados. À medida que os trabalhadores se aproximavam do ouro, as autoridades começaram a restringir o acesso ao Ground Zero, juntamente com agentes do FBI e dos serviços secretos. Um trabalhador, que foi afastado do túnel, comentou a um repórter: “Se eu tentasse ir lá embaixo, eles atiravam em mim.” No total, lá estavam mais de 100 agentes armados, monitorando todos os trabalhadores. Vejamos: o ouro do edifício 4, foi descoberto abaixo do edifício 5, num caminhão de entregas vazio, junto com uma escolta de carros vazios. Essa é fácil. Eles estavam terminando o último carregamento da torre sul, quando tiveram de abandonar tudo. Mas como poderiam saber que tinham que se afastar de lá, se nem mesmo os bombeiros que trabalhavam no resgate, na torre sul, sabiam que ela iria cair? E por isto mesmo tantos bombeiros perderam suas vidas, naquele dia. Assim, de um total de 167 bilhões de dólares em barras de ouro, somente 200 milhões, foram recuperados.
          É importante que se saiba que Marvin Bush, irmão do presidente George W. Bush , foi  um dos diretores da Securacom entre os anos de 1993 e o ano fiscal de 2000. A Securacom, agora denominada Stratesec, é uma empresa de segurança eletrônica, com ligações a Kuwait American Corp, responsável pela segurança da United Air Lines, de Dulles International Airport e desde o início dos anos de 1990 até o dia 11 de setembro de 2001, do WTC. Marvin fora também diretor da HCC Insurance Holdings Inc que segurava parte do WTC no dia 11. 

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

O sétimo prédio do complexo do WTC



O sétimo prédio do complexo do World Trade Center, de 47 andares, e que ficava atrás das duas torres, foi todo construído de alvenaria e de forma convencional, ao contrário dos outros maiores. A explicação oficial para a sua queda, por volta das 17:00 h. da tarde, do dia do atentado, foi a de que o tremor produzido pelas duas torres, ao caírem, gerou abalos sísmicos equivalentes ao de um terremoto de pouco mais de 2,4 pontos na escala que mede terremotos, e estes, então, derrubaram aquele prédio. Contudo, sua queda foi de forma perfeitamente vertical como em uma implosão. Não devemos esquecer de que este evento se deu após um feriado prolongado. Geralmente os terremotos sempre ocasionam quedas laterais dos prédios afetados, nunca tão verticais. É muito estranho notar que esse pequeno terremoto, que geralmente é um fenômeno caótico, tenha atingido um único prédio de toda aquela área, ou seja, da própria quadra das torres. Embora muitos tenham sofrido danos causados pelos estilhaços, escombros e mesmo, pelos destroços das aeronaves, permaneceram de pé. Assim, é curioso especular porque a influência do terremoto em questão tenha demarcado exclusivamente a quadra do WTC. Aliás, a mídia pouco mostrou ou mesmo se referiu ao sétimo prédio. É bem verdade que, após a queda das torres e a destruição de todo o complexo, o prédio em questão estava atrapalhando toda a área física do terreno. Por isso não fazia o menor sentido que o mesmo permanecesse de pé.
Como era do conhecimento público, desde há muitos anos, a área do complexo era deficitária econômicamente. Além disso, quase metade dos funcionários era de imigrantes, muitos dos quais trabalhavam na clandestinidade. E foi por isto que o número oficial dos mortos ficou aquém do verdadeiro. A prefeitura emitiu certidões de óbitos apenas para as pessoas que puderam comprovar a legalidade de seus parentes desaparecidos. Mesmo porque, o seguro indenizou somente as famílias que apresentaram as devidas certidões.

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

O Pentágono foi atacado por um Míssil Tomahawk de Ataque a Superfície Americano.

video


Este vídeo não deixa dúvidas quanto ao fato de não ter sido um avião e sim um míssil a atingir o Pentágono em 11 de setembro de 2001. Possivelmente um Tomahawk Land Attack Missile (TLAM - Míssil Tomahawk de Ataque a Superfície), pintado com as cores da American AirLines. O que mais falta para que os verdadeiros culpados sejam presos e levados à justiça?